Skip to content

“Métodos de Canalização de Energias de Cura”

07,sexUTC333UTC11bFri, 30 Nov 2007 09:29:15 +00002007 2007.

 

Três Métodos de Canalização

O Princípio do 1º Método             Por: Porfírio

Neste primeiro método, usaremos o centro energético (chakra) que se encontra entre 35 a 60 cm acima da cabeça. Ainda que este centro esteja fora do corpo, ele está dentro da aura e representa parte considerável de você. Ele se assemelha a um sol brilhante.Quando você se concentra, mentalizando um sol brilhante numa distância entre 35 e 60 cm logo acima da cabeça, a atenção que é focalizada nesta área, emite clarões de consciência e energia para dentro desse chakra, intensificando-o e fazendo-o ampliar-se e luzir com mais força. Com este método, você aprenderá a canalizar a energia resultante desse centro energético. Em certo grau, ele está sempre em atividade, mas devido ao fato de a energia seguir o pensamento, ao dispensar-lhe atenção, você involuntariamente o alimenta, ao mesmo tempo em que o amplia ainda mais, tornando-o mais ativo.

Cada um dos três métodos de energia canalizada produz um tipo específico de energia. Todos eles curam, todos são poderosos, mas cada um possui características próprias e seus “pontos fortes”. Caso apenas um desses métodos funcione melhor com você, sugiro que o use sempre. Mesmo tendo facilidade com todos eles, muitas vezes um tipo de energia será mais apropriado que outro.

O 1º MÉTODO DE CANALIZAÇÃO utiliza uma energia que tem características de uma “chama luminosa” e contém atributos purificadores. Se eu quiser desintoxicar alguém ou alguma parte desse alguém, ou quiser “extirpar” uma célula cancerígena, esta é a energia que devo usar. Ela é também a mais difícil e a mais trabalhosa das três. Em compensação, ela atua melhor em quadros clínicos que inspiram cuidados como câncer, congestão e intoxicação.

Como é difícil dar combate à tensão muscular, recomenda-se, para estes casos, usar uma energia mais branda, que deve penetrá-la e agir mais facilmente sobre ela. As palavras-chave para este tipo de energia são “força” e “purificação”.


As Cinco Etapas

1ª ETAPA: Assuma a posição adequada (sentada ou em pé), feche os olhos e se concentre. Ao sentir-se relaxado, imagine um sol brilhante a uma distância de 35 a 60 cm, diretamente acima de sua cabeça. Continue com os braços soltos, imaginando este SOL SOBRE VOCÊ, o brilho de seus raios derramando-se sobre você e atravessando a parte superior de sua cabeça, enchendo-a de luz. Procure sentir quão maravilhosa é essa luz radiante. Imagine-a como a energia pura, presente em todas as formas da Criação. Use todos os meios que lhe parecerem mais adequados.

Não passe para a 2a etapa até que tenha sentido a carga desse sol ao seu redor, penetrando até o interior da sua cabeça. Tendo dificuldade para isso, imagine o SOL elevando-se um pouco mais. Aqui não há insistência, aqui não se força nada. Saiba também que, embora você esteja imaginando ativamente o sol, ele, neste momento, lá está. Sua mentalização apenas ajuda você a tornar-se consciente dele. E, uma vez adquirida esta consciência, a carga de luz que vem fazer parte de você dependerá de sua disponibilidade para ela, do quanto você renuncie em favor dela.

2ª ETAPA: Enquanto sua cabeça está repleta da luz deste sol brilhante, sinta-a percorrer o seu corpo, enchendo o tronco, os braços, as pernas e saindo de suas mãos, das pontas e das plantas dos pés. Agora é importante sentir a energia saindo realmente através das quatro extremidades do seu corpo, ou seja, mãos e pés. Ao experimentar a luz que percorre o seu corpo, mantenha a atenção sintonizada com a fonte de luz, aquele sol acima de sua cabeça. Sua luz e energia estão invadindo você, purificando seu corpo.

3ª ETAPA: Quando sentir a energia deste sol fluindo livremente através de seu corpo e além das suas extremidades, imagine que as pontas e plantas dos pés, que servem de saídas para a energia, se fecham, de modo que esta energia chegue aos seus pés, mas não se estenda além deles. Basta mentalizar e sentir isto, para que tudo aconteça. A energia sempre acompanha o pensamento.

4ª ETAPA: Depois de fechar as saídas nas pontas e nas plantas dos pés, estenda as mãos confortavelmente à sua frente, com as palmas voltadas uma para a outra, separadas por uma distância de 15 cm. Ao estender as mãos assim, conservando sua consciência em sintonia com o sol acima de sua cabeça e imaginando sua energia passando sobre você através do seu corpo, você deverá sentir um formigamento entre e dentro de suas mãos.

Ao transportar a consciência para este sentimento (ao mesmo tempo que a mantém em sintonia com o sol), a sensação se tornará mais forte. Ela pode ser tão forte ao ponto de fazê-lo sentir a própria energia “afastando” as suas mãos uma da outra no momento em que você as relaxa um pouco. Permaneça assim por alguns minutos. Mova as mãos suavemente para a frente e para trás, como se estivesse brincando com a energia, desenvolvendo melhor sua sensibilidade em relação à ela. Quanto mais seu corpo se envolver neste processo de canalização, mais a energia será acessível a você. Permita que a energia retorne o rumo imaginado. Pode ser útil a certeza de que não se está diante de um fracasso ou de uma agressão no processo. Permaneça em atitude confortável e descontraída. Caso o fluxo de energia não suba, recomece da 1a etapa.

5ª ETAPA: Ao sentir a energia plenamente estabelecida, abra os olhos e observe se você ainda pode manter a consciência responsável pelo fluxo de energia. Verifique se pode prolongar o fluir da energia enquanto volta os olhos para as coisas que estão no recinto.

FASE FINAL: Quando tiver facilidade para canalizar a energia de olhos abertos, será hora de parar.

O Princípio do 2o Método

Assim como no 1o método, escolha uma posição confortável. Assuma a posição adequada (sentada ou em pé), feche os olhos e se concentre.

As Quatro Etapas

1ª ETAPA: Ao sentir-se relaxado, imagine-se descalço em um campo de relva bem verde. Sinta, de fato, o verde à sua volta. Imagine que ao relaxar a planta do pé, você pode absorver para o seu corpo a energia verde da grama e da terra. Tudo o que você tem a fazer é relaxar, sentir a planta do pé se abrir para dar passagem à energia e imaginá-la filtrando-se, deixando o seu corpo repleto dela. Não tente “forçar” a energia a fluir, deixe-a percorrer todo o caminho até a sua cabeça e então, deixe-a subir ainda mais, até alcançar o centro energético acima da sua cabeça, empregado no 1o Método de Canalização. Agora você não está se utilizando de uma fonte de energia, está apenas deixando a energia da Terra alcançá-lo, criando a sensação de que você assume a forma de uma grande coluna de luz verde que se levanta desde a base, que é o seu pé, até o centro energético acima de sua cabeça.

Concentrar-se na expressão “energia verde” ou “energia verde da terra” ajuda-o a manter a sensação desse fluxo. Sinta-se à vontade para repeti-la silenciosamente para si mesmo.

2ª ETAPA: Quando o seu corpo se sentir repleto da energia verde da terra, mantenha as mãos diante de seu corpo com as palmas voltadas uma para outra. Mantenha-se relaxado e com a consciência sintonizada com a fonte de energia. Em poucos minutos você sentirá a energia em suas mãos e entre elas. Esta sensação será diferente em relação ao 1o tipo de energia. Liberte-se das ansiedades e expectativas de como esta sensação deveria ser. Quando este método de canalização for utilizado, poderá haver alguma propensão de curvar-se na direção do solo (como se estivesse tentando se aproximar da terra, sua fonte de energia). Permaneça sentado numa postura correta e relaxe as costas, mantendo-as descontraídas. Será mais fácil para a energia subir pelo seu corpo até o centro energético acima da sua cabeça.

3ª ETAPA: Quando sentir que o fluxo de energia já se estabeleceu plenamente, abra os olhos e descubra se pode manter a consciência responsável pelo fluxo de energia. Veja se pode mantê-la enquanto olha para os objetos do recinto.

4ª ETAPA:Quando sentir facilidade para canalizar energia com os olhos abertos, tente trabalhar com a energia branca da terra, em lugar da verde. Após familiarizar-se com a energia branca, substitua-a pela violeta, depois pela vermelha, pela azul e outras cores. Observe e reflita sobre as diferenças que ocorrem em você a cada nova cor, enquanto as canaliza.


O Princípio do 3o Método:

Trabalhando a Energia Amorosa do Coração

Assim como nos dois primeiros métodos, não se deve “forçar” nada. A energia da terra já existe. Você não precisa inventá-la.

Você sentirá a energia do coração nas suas mãos de modo mais delicado e suave do que os tipos de energia utilizados nos dois primeiros métodos. A energia que provém do coração é a mais branda e confortadora de todas.

As Três Etapas

1ª ETAPA: Feche os olhos, relaxe e se concentre. Escolha qualquer método que lhe ocorrer, objetivando desenvolver a energia do coração. Qualquer que seja a fonte que você utilizar para estar em sintonia com a energia do coração, permita a si mesmo experimentar tanto amor quanto puder. Preencha com este amor as lacunas que existem dentro de você. Durante a prática, não é indispensável se manter consciente de seus pés ou do centro energético acima de sua cabeça. Envolva-se simplesmente com os seus próprios sentimentos e eles o ajudarão a experimentá-los (memórias felizes) na área do coração.

2ª ETAPA: Quando estiver transbordando de alegria, com todo o amor que lhe é possível sentir percorrendo o seu coração, estenda os braços para a frente e sinta a energia do amor em suas mãos. Ao sentir a energia nas mãos, concentre-se nesse sentimento e assim aumentará a sua força.

3ª ETAPA: Ao sentir a energia do coração fluir espontaneamente, abra os olhos, descubra se pode manter a consciência que conserva o fluxo de energia. Descubra se consegue mantê-la assim, enquanto olha para os objetos do recinto.

FASE FINAL: Quando tiver facilidade para canalizar de olhos abertos, será hora de parar.


As Cores

Cada cor contém propriedades características de cura. Ao trabalhar com determinada cor, visualize-a da forma mais nítida possível. As cores imprecisas enfraquecem a energia e não promovem a cura. Você pode utilizar o Segundo Método de Energia Canalizada de Cura para trabalhar com qualquer uma das cores. Basta imaginar que a terra está repleta da cor de que você necessita e senti-la através de seus pés. O Primeiro Método de Canalização serve para a maioria das cores, mas deve-se tomar cuidado com o uso do vermelho, que não se ajusta aos centros energéticos utilizados nesse método. Uma boa opção pode ser o laranja.

Significado das Cores na Aura e no Processo de Cura

Vermelho

É própria da energia e da força física. É uma cor revigorante, mas é preciso tomar cuidado com esta cor, pois devido à sua alta capacidade de produzir estímulos, pode causar inquietação. Por outro lado, pode ser útil no tratamento das deficiências do fígado.

Laranja

É a cor da felicidade emotiva. Casa bem com quem precisa de mais sorrisos e de bom humor na vida. É uma cor para os problemas da bexiga e para a parte da frente dos quadris.

Verde

É a cor básica para o processo de cura. Está ligada ao crescimento, à saúde, à segurança e à recuperação. Representa o caráter individual e o ego.

Amarelo

É a cor do intelecto. É indicada quando o pensamento é confuso. É uma boa cor para os rins e pode ser usada como tônico para o sistema em geral.

Cor-de-rosa

Simboliza o amor incondicional, pois combina em si a brancura do amor incondicional com o vermelho da emoção. O cor-de-rosa é como um alimento para a pessoa que precisa de muito amor ou para um coração que não sabe como dar seu amor. Canalize esta cor para o segundo chakra (pouco acima do púbis) e para o chakra o coração. Essa cor não é usada na recuperação do organismo.

Dourado

Está ligada ao que é permanente e o faz como nenhuma outra cor. Se alguém sofre uma fratura, esta pessoa passa a emitir raios de energia dourada capazes de recuperar os ossos fraturados a fim de dar início ao processo de cura para depois, numa segunda fase, começar a produzir energia de cor verde, que circundará o local afetado, contribuindo para a cura definitiva. O dourado é a cor da reestruturação.

Azul

É a cor da paz. Se alguém anda preocupado, atormentado, nervoso demais ou zangado, o azul restabelece a calma e a tranqüilidade. É também útil para problemas gástricos. O azul é sereno e apaziguante. Na maioria dos casos age como uma cor eficaz no processo de cura e é especialmente boa em casos que exigem repouso e convalescença. É uma cor que alivia, sendo apropriada para todas as situações que envolvem inflamação, mas em casos onde há febre, para que evitemos a ocorrência de calafrios, será melhor usar a cor verde ou branca.

Púrpura

É uma mistura do vermelho com o azul. Pessoas que se entregam à cólera, que é “energia negativa”, encontram algum alívio nessa cor.

Violeta

Representa a meditação espiritual, estimula a percepção psíquica. É mais usada na cura de perturbações do espírito e do desequilíbrio emocional em geral, do que na cura dos problemas do corpo.

Branco

Traz em si todas as cores, reunindo aquelas que promovem cura e por isso, pode ser utilizada no tratamento de qualquer caso. Representa pureza, sentimento de proteção e amor espiritual incondicional.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: